Crianças e adolescentes podem viajar sozinhos?


>> Início :: Aventuras :: Crianças e adolescentes podem viajar sozinhos?



Crianças e adolescentes podem viajar sozinhos?


A chegada da adolescência é uma fase de grandes descobertas, novos desejos e anseios para os jovens. Já para alguns pais, a adolescência pode representar uma fase de maiores preocupações, pois é a fase em que o jovem geralmente reivindica mais autonomia e liberdade, em especial, para sair com os amigos sem ter hora para chegar, maior privacidade e o pleno direito de ir e vir sem prestar esclarecimentos prévios.

É importante que os pais sempre estejam abertos ao diálogo para encontrar junto aos seus filhos a melhor maneira de lidar com essas questões que são inerentes à adolescência.
Nessa fase é comum também que floresça a vontade de viajar apenas na companhia dos amigos. Nesses casos, os menores de 18 anos e seus responsáveis devem se atentar a alguns processos burocráticos que visam a segurança e a integridade dos jovens que desejam viajar desacompanhados.

Portanto, é possível que menores de 18 anos viagem sozinhos, ou seja, sem a companhia dos pais, entretanto, é necessário que se apresente autorizações e documentações que oficializam o consentimento dos pais em relação à viagem, local de hospedagem, alimentação, destino e roteiro.

Uma boa e prática opção para solucionar esses procedimentos burocráticos, pode ser contratar os serviços de agências de viagens especializadas em trabalhar com pacotes elaborados especialmente para menores desacompanhados.

Essas agências, geralmente, facilitam a organização e a preparação para a viagem e oferecem uma maior segurança para que ocorra tudo conforme o previsto na viagem do menor. Isto porque, a maioria das empresas oferecem pacotes que já incluem hospedagem, alimentação, roteiros, passagens e serviços médicos, caso seja necessário.

Viajar em território nacional – Menor de 18 anos:

Para que crianças de 2 a 11 anos de idade possam viajar desacompanhadas dentro do território nacional, é preciso uma autorização emitida pela Vara da Infância e da Juventude. Essa norma também se aplica para viagens internacionais. Já para menores que tenham entre 12 a 18 anos incompletos, é preciso apresentar a carteira de identidade (RG) e caso estejam sozinhos, se faz necessária a apresentação de uma autorização de viagem escrita à mão pelos pais.
Caso o menor esteja na companhia de um adulto que tenha um vínculo de parentesco, se faz necessária a apresentação de um documento que comprove o grau de parentesco (tio, primo, mãe, pai, avós e irmãos), tal como a carteira de identidade ou a certidão de nascimento.

Viagem internacional – Menores de 18 anos:



Nesse caso a burocracia é um pouca mais rígida. Os menores de 18 anos necessitam de autorização escrita à mão por ambos os pais para que possam viajar desacompanhados. Para situações em que o menor esteja acompanhado de apenas um dos pais, será solicitada também a autorização do outro pai. Já menores que pretendem viajar com um outro responsável que tenha grau de parentesco, será necessária a autorização de ambos os pais.

As recentes atualizações do passaporte (modelo azul) já contemplam algumas dessas burocracias especificas para menores. Por exemplo, o novo passaporte possui uma área de permissão. Ele permite uma autorização impressa em sua página de identificação, porém não apresenta dados sobre a paternidade. Devido a isto, os menores devem apresentar um documento que comprove o grau de parentesco no momento do check-in. Essa exigência se aplica para menores acompanhados ou não por seus pais.

Há algumas situações especificas, que dependem do país de destino. Por isto, é extremamente importante que os pais ou responsáveis obtenham o máximo de informações a respeito de assuntos relacionados a viagens internacionais para menores de idade.

A Polícia Federal elaborou uma espécie de cartilha (Manual relativo a Viagem de Menores Brasileiros), que orienta os pais sobre os procedimentos necessários para a obtenção de documentos e autorizações.

Para garantir uma viagem inesquecível, segura e divertida para o seu filho (a), pesquise, apure referências e procure agências que tenham uma boa reputação na área.

Viajar pode ser uma ótima experiência para o menor, pois certamente irá contribuir para o processo de amadurecimento, convívio social, cultura e com certeza irá agregar na relação entre pai e filho.

Créditos: http://www.viagemzap.com.br/














Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *